Em destaque

Seja bem vindo!

Olá apaixonado por Fotografia e Cinema,

Esse blog foi criado especialmente para você ficar por dentro das notícias que rolam aqui na Escola de Imagem Câmera Viajante!!!
Um cantinho para divulgar conteúdos essenciais para a sua carreira na fotografia. Gostou? Então, fique ligado para não perder as novidades que rolam.
Nós em parceria com professores e alunos preparamos assuntos dos mais variados nichos encontrados nessa área de imagem visual.

Você conhece Taquari?

Foto de Nina da Silva

Se a sua resposta for não
Temos a oportunidade perfeita para você!

Então leia até o final este post.

A Câmera Viajante adora essa cidadezinha Luso-Açoriana, fomos uma vez em 2005 e ficamos encantados. Neste ano decidimos que estava na hora de voltar e ver as transformações que aconteceram ao longo desses quatorze anos.
Te convidamos para participar desse dia, tirar muitas fotos e dar muitas risadas!

Mas antes que tal um pouco de história?

Para os que não sabem Taquari é um município brasileiro da região central do estado do Rio Grande do Sul.

Pertencendo à Mesorregião do Centro Oriental Rio-Grandense e à Microrregião de Lajeado-Estrela. É conhecida como a cidade mãe do Vale do Taquari, que é o terceiro vale mais fértil do mundo! Somos ou não somos um povo sortudo?

Bom continuando…
A cidade se constituiu com a chegada de casais açorianos, por volta de 1764, sendo considerada uma das mais antigas do estado. Recebeu ainda grandes influências oriundas dos negros africanos, dos alemães, bem como dos italianos, além de outros povos e culturas, porém, em menor número.


ATENÇÃO :

Neste sábado 30 de novembro iremos revisitar esta cidade e passar pelo famoso Jornal Taquaryense!

Saiba mais clicando aqui!

Segundo Anna Liza Precht & Gabriela Antunes o Jornal Taquaryense, que, com seus 122 anos, é o segundo jornal mais antigo do estado ainda em circulação – o primeiro é a Gazeta do Alegrete que circula desde 1882. Produzido de forma artesanal, o periódico utiliza-se de tipos móveis, sendo o único da América Latina que ainda o faz. Trazendo ao conhecimento um breve relato da história de Plínio Saraiva, filho do fundador Albertino Saraiva, e detalhes da estrutura do jornal, visamos esclarecer essa parte da história da imprensa do Rio Grande do Sul que é ignorada pela grande maioria dos livros que aborda esse assunto. Nas páginas desse jornal foram contados episódios marcantes da história do Brasil e do mundo, mas em especial da cidade da qual deriva seu nome. Iniciando sua trajetória em fins do século XIX, O Taquaryense atravessou o século XX e adentra o XXI sem alterar seus moldes, conservando em suas páginas a simplicidade e a seriedade das quais jamais se distanciou. Visitar as instalações de O Taquaryense é praticamente fazer uma viagem no tempo; entra-se pela modesta porta do pequeno prédio e perde-se nos cento e poucos anos de história do jornal.

Por Equipe Câmera Viajante

Vinte anos da Escola Câmera Viajante

“Tudo começou com o primeiro passeio para Maquiné, litoral do Rio Grande do Sul, no dia 12 de outubro, data que resultou de várias remarcações. Neste dia a Câmera Viajante se tornou uma realidade”.

Gérson na ponte de madeira

Os porto-alegrenses tem um motivo de orgulho neste mês de outubro, uma de suas instituições de arte fotográfica está comemorando no mês de outubro 20 anos de trabalho. Refiro-me à Escola Câmera Viajante, que conta com uma equipe de profissionais especializados tanto na fotografia quanto no cinema digital.

Angelo, Rafael e Carlos

É uma atividade que exige engajamento, pois ser fotógrafo não é apenas clicar uma câmera. Exige um olhar consagrado com técnica de manejo de seus equipamentos.

Por olhar consagrado entendo sensibilidade, muita sensibilidade, no sentido de extrair a alma daquilo que ele foca. A boa foto se converte em poema visual. Algo parecido ao escultor que a partir de seu imaginário manipula com o seu martelo uma pedra bruta e a transforma em obra de arte.

A fotografia, a escultura e a pintura têm destinos paralelos e complementares. Paralelos porque depende da sensibilidade do olhar artístico. John Hedgecoe, que nos anos 1970, desenvolveu uma brilhante carreira como fotógrafo e editor associado à revista Queen, dizia: “A fotografia começa com a sensibilidade do olhar, mas se complementa com a habilidade treinada do equipamento que o fotógrafo usa”. Conclui, “Um objeto precisa ser fotografado muitas vezes, em dias diferentes, pois a luz natural nunca é a mesma”.

Reconheço que fotografar não é sinônimo de clicar uma câmera. Nos últimos anos, o manejo e a instrumentalização sofreram mudanças profundas com as câmeras digitais, cada vez mais aprimoradas. A atualização e a adaptação são indispensáveis.

A Escola Câmera Viajante, que comemora seus 20 anos de fundação, enfatiza tanto a atualização técnica quanto o processo de contínuo aprendizado do fotógrafo.  

Alberto e Ângelo

Nesse sentido, a instituição operou mudanças em seu currículo. Segundo as palavras do diretor geral, Rogerio Amaral Ribeiro Rar, “a partir de 2016 julgamos necessário criar um novo Curso de Fotografia Profissional com duração de um ano com mais ênfase em questões comerciais da fotografia, com disciplinas de Administração, marketing, vendas e formação de preços com apoio do SEBRAE”.

Conheço o Rogério e sua biografia é rica. Leciona fotografia desde 1995 e fez vários cursos especializações. É pós-graduado em Pedagogia da Arte (UFRGS). Pós-graduado em Museologia e Patrimônio Cultural. É Bacharel em Artes Plásticas com Habilitação em Fotografia (UFRGS). Têm trabalhos fotográficos publicados nas revistas Die Weltwoche de Zurique, Le Courrier de Genebra, ISTOÉ e Carta Capital de São Paulo, L’Humanité e Agence Gamma de Paris. Suas fotografias já foram expostas em Nova York, Aukland, Londres, Genebra, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

Ele conta que a instituição surgiu de uma ideia de dar aulas na rua. Algo inédito na época. O objetivo seria encontros, práticas fotográficas seguido de avaliações imediatas das fotos. Já o nome de Câmera Viajante foi sugestão de Karla Nyland, inspirado num poema de Carlos Drummond de Andrade.

E tudo começou com o primeiro passeio para Maquiné, litoral do Rio Grande do Sul, no dia 12 de outubro, data que resultou de várias remarcações. Neste dia a Câmera Viajante se tornou uma realidade com a ideia de levar aficionados para uma vivência real num lugar definido. Em 2018, já uma escola com sede fixa, realizou um projeto para Patagônia na Argentina.

Primeiros viajante da Câmera Viajante

É uma bonita história a qual me associo e cumprimento o Rogério Ribeiro e toda a sua equipe pelos 20 anos de existência da Escola Câmera Viajante. 

Por Themis Pereira de Souza Vianna

Foto A’gosto


Agosto um mês que dá gosto em fotografar.
Bom para tod@s @s fotograf@s é dia de clicar, mas aqui entre nós, agosto é especial, não é mesmo?
Nesse dia 19 comemoramos juntamente com o Foto Clube Portoalegrense os primeiros passos da fotografia. Numa janta preparada especialmente pela nossa parceira Dilse Oliveira e seu Di’Café

Para os que estão entrando agora é bom falar, pois informação nunca é demais. A fotografia assoprou suas velhinhas e fez 180 anos neste mesmo dia. Você sabe o que é isso?
O que seriamos sem a fotografia, né?
Como tudo tem um início na vida, a fotografia também surgiu em algum momento. Foi especificamente na França, no século XIX.
E aqui na Escola Câmera Viajante organizamos um evento para celebrar essa data. Pensamos em algo bem legal, onde as pessoas pudessem se reunir, trocar uma ideia e dar umas risadas aqui nesse espaço reservado aos apaixonados por fotografia!


Agenda lotada e a casa agitada. Ai que delícia este agosto.
Contamos com palestrantes de peso, dentre eles Antonio Sobral, Carlos Eduardo Vaz e Mari Schmitt. Falando sobre fotojornalismo, abordando a inclusão e entendendo a construção da imagem. Contudo, o que é bom dura pouco. E quero dizer que estamos nos aproximando deste que foi um grande evento!
Já participou? Gostou?

Mas ainda não acabou, neste domingo gostaríamos da tua presença para dar mais um gás e chegar ao fim deste mês. No dia 25/AGO às 10h abriremos a casa para te receber com músicas, comidas, bebidas e muito mais. É só chegar aqui na Rua Miguel Tostes 736!!

Ah, e lembrando que teremos mais uma palestra no dia 28. Falaremos desta onda de criação de conteúdo para a famosa mídia Youtube. A recém formada Jessica Fontoura vai trazer as novidades que estão rolando por esta web. Não perca é às 19h aqui na Escola Câmera Viajante!!
Ei, pra quem não puder comparecer na escola, faremos uma live no instagram para ninguém ficar de fora, okay? Mas tem que seguir lá @cameraviajante.  s2

Voltando ao domingo, no dia 25, a casa estará novamente cheia, com várias atividades como: Leituras de Cartas com Rose Arruda; Teremos a presença do Brechó Garimpo, olha que chique! Coordenado pelos queridos Jeff e Rafaela; Harmonize Brechó e Beleza montará sua barraquinha. A PIPE Company confirmou o seu lugar e trará as suas coleções; Para quem não resiste a um acessório a Peccatto Acessórios estará tentando nossos olhos; Contaremos com o Guido Tattoo para tatuar a pele de quem quiser com o seu  Flash Tattoo; Reservamos ainda um espaço para o Brique de Arte, Livros e Equipamentos Fotográficos com o Dr. Claiton Ferreira; Montaremos um varal fotográfico para foto-trocar com todos os convidados da Escola Câmera Viajante
E rolará um sorteio de brindes ao final do dia ajeitado pela Laçador DigitalEquipamentos fotográficos;

Olha, eu não fico em pé sem comida e você?
Para esta parte essencial o Di’Café e seu Cardápio bateram o ponto; A Toke de Anjo e seus quitutes deliciaram o nosso dia; E o Sabará e seu Chopp brindaram conosco este evento fantástico.

Daremos um extra para aqueles que não puderam assistir a palestra do dia 14/08, convidamos novamente o Carlos Eduardo Vaz que dará uma resenha da sua palestra: “A construção da Imagem” às 16h.

Tudo bem, tudo bom.
E tu me pergunta, e a música? 
Bom das 11:30 às 13h, Juju Wagner subirá no palco com sua voz e violão.
E a partir das 16:30 às 18h Rodrigo Rodrigues assumirá o lugar e encerrará este evento para nós.

Por Sophia Longaray

O surgimento da Fotografia na Europa

E os novos paradigmas para a representação visual no SÉCULO XIX

Em 19 de agosto de 1839, quando o astrônomo e deputado François Arago chegava ao Instituto de França para se reunir com os membros da Academia de Ciências e Belas Artes, uma multidão curiosa e excitada o esperava no pátio do Instituto. A invenção de Louis Daguerre seria finalmente apresentada para a Academia e sua patente vendida ao governo francês. Era uma descoberta previamente anunciada e naquele dia seus segredos iriam ser desvendados. A fotografia nascia plenamente integrada ao pensamento liberal das insurgentes nações industriais e com um público sedento para consumi-la. 
A sociedade européia estava madura suficiente para recebê-la e acreditava cegamente que ali estava um sistema de representação da realidade, puramente mecânico, sem a interferência da consciência humana. Entretanto, desse sistema surgiria uma das formas mais eficientes de manipulação da realidade.
A fotografia enquanto representação fiel da realidade proporciona às pessoas a ilusão de viajar a lugares distantes. As fotos em estúdio, também, podem simular um status social que a pessoa retratada não possui. A fotografia penetra em várias áreas, desde as artes plásticas – libera a pintura artística das responsabilidades de representar fielmente uma imagem figurativa, abrindo os caminhos expressivos e revolucionários da arte moderna – até a área científica e policial.

De acordo com os discursos da época, a imagem fotográfica é a “imitação mais perfeita da realidade”, tendo uma capacidade mimética que procede da própria técnica, de seu procedimento mecânico, que permite fazer aparecer de uma maneira “automática”, objetiva, quase “natural”.
Os fatores que colaboram para o aparecimento dessa invenção na sociedade do século XIX são vários e motivadores: uma parcela considerável da população é analfabeta, sendo então necessário o desenvolvimento da informação visual para a propaganda política e para a publicidade comercial.
Com a revolução industrial surgida na Inglaterra, a sociedade demanda cada vez mais, por uma produção de imagens, baseados nos requisitos desta nova época: exatidão, rapidez de execução, baixo custo e reprodutibilidade.
O fotógrafo de retratos em estúdio possui salão de pose, onde as pessoas vestem roupas e posam em cenários com barquinhos, balões, escotilhas de navios, falsas paisagens e falsas viagens, esta ilusão fotográfica transporta o indivíduo a qualquer parte do mundo. 
A fotografia cria um novo paradigma: “a realidade virtual”, uma necessidade desse frenético mundo industrial. Nesse processo avassalador, ela percorre as intensas transformações sociais e urbanas vividas pelo mundo ocidental ao longo do século XIX, dando partida para uma série de novos inventos (cinema, televisão e computação gráfica) no século XX, que ampliarão a dimensão desse novo paradigma.”

Por Rogério Pedroso do Amaral Ribeiro.

Trechos do trabalho de Metodologia de Pesquisa
Professora: Ana Albani 
Bacharelado em Artes Plásticas.
Instituto de Artes, UFRGS, 1996

Café Fnac recebeu Sarau de Fotografia da Escola Câmera Viajante

Image

No ultimo domingo (8) o café Fnac do Barra Shopping Sul foi palco do Sarau de Fotografia da Escola Câmera Viajante.

Karla Nyland, diretora geral da Escola Câmera Viajante recebeu a professora, fotógrafa e artista visual Vera Carlotto que falou da importância da composição, desenvolvimento do olhar e da estética fotográfica buscando uma linguagem pessoal.

Image

Vera apresentou um pouco do trabalho realizado na escola Câmera Viajante e fotos de alunos em uma apresentação audiovisual.

Image

Alguns trabalhos realizados por alunos em aulas práticas do curso de Composição Fotográfica, foram apresentados no evento e ficarão expostos até o dia 22 de dezembro.

O evento foi um sucesso recebendo mais de cinqüenta pessoas.

Fotos: Karla Nyland

Uma viajante da câmera na Turquia

Entre o Mediterrâneo, Egeu, Mar Negro e o Mar Mármara, o menor mar do mundo NinaBeth Muccillo conta um pouco da terra dos sultões e tapetes mágicos. A Turquia é um esplêndido e fascinante país que esteve sempre dividido entre o oriente e o ocidente, o passado e o presente, o Laicismo e o Islam, o tradicionalismo e o progresso, um misto entre o antigo e o novo mundo.

Um país com setenta milhões de habitantes, república desde 1923, encanta pela beleza natural, as montanhas, os cenários lunares da Capadócia, limpas praias, restos de antigos templos e vestígios de antigas civilizações. A Turquia, ao longo dos séculos, teve doze civilizações que se sobrepuseram umas as outras. Cada uma foi deixando sua marca e assim formou-se à grandiosa cultura do qual somos um pouco filhos e herdeiros.

Ancara, capital da Turquia é sede do parlamento, mas Istambul é o centro das antigas atrações nunca esquecidas no coração dos turcos. Esta se apresenta como uma “antiga senhora,” com seus altos minaretes e sua longa ponte sempre cheia de magia e mistérios. Conservaram vestígios e glórias da cidade que já foi denominada a fabulosa Bizâncio, a esplêndida Constantinopla e hoje a belíssima Istambul.

Depois da Palestina, a Turquia é o país onde cristãos reencontram as origens da fé, onde nascem o Tigre e Eufrates. Os rios bíblicos dos quais descendem a humanidade.
É um país que nos foi descrito pela arte e cultura, silencioso onde a luxúria reviveu no Barén do Sultão, senhor das odaliscas. Aqui surgiram histórias de sultões, príncipes e reis não tão dinâmicas como as dos faraós egípcios, mas cheias de magia e romantismo.

Câmera Viajante apoia concurso fotográfico

No dia 18 de outubro aconteceu a premiação do 9º concurso fotográfico do SINTRAJUFE/RS. Os vencedores foram conhecidos no palco do Auditório Barbosa Lessa, no Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo.

Imagem

Foto: Divulgação SINTRAJUFE-RS

O concurso anual e de reconhecimento nacional teve como tema este ano Impressões de Viagem.

O Júri composto pela fotógrafa Jussara Moreira e pelos professores da Câmera Viajante Gerson Turelly e Fernanda Chemale, teve dificuldades para escolher os vencedores da edição de 2013 – Foi o concurso mais complicado de eleger os vencedores, pela qualidade do material e pela amplitude do tema. Disse Turelly professor e coordenador de ensino da escola.

A Escola Câmera Viajante que desde o inicio apoia o concurso premiou com um vale curso a foto vencedora na categoria voto popular realizada pelo fotografo Cristiano Wurdig Soares. As fotos vencedoras vão ilustrar o calendário 2014 do Sintrajufe/RS.

Os vencedores foram:

Na categoria SINTRAJUFE

1º Lugar – Hilton Luiz Silva Lebarbenchon Lemos

2º Lugar – Andrea Rigo de Oliveira

3º Lugar – Miriam Marroni

Calendário – Everton Gelatti Visentini

Calendário – Eduardo Miranda Ramos

Calendário – Eledir Teresinha Martins

Gutemberg Rodrigues Ostemberg

Na categoria Geral

1º Lugar – Ana Luisa Correa Rodrigues

2º Lugar – Mário Avila de Oliveira

3º Lugar – Tatiana Saldanha Tamiosso

Calendário – Mário Avila de Oliveira

Calendário – Marcelo Filimberti

Calendário – Cristiano Wurdig Soares

Calendário – Fáride Belkís Costa Pereira

Lançamento da Websérie Urbanautas

Na noite desta quinta-feira (31) aconteceu na Usina do Gasômetro a estreia da websérie urb@nautas. A sala de cinema P.F.Gastal exibiu os três primeiros episódios de um total de quinze.

A série retrata o perfil de três artistas contemporâneos no seu trabalho, sob os ares da mesma cidade o grafiteiro LfTrampo, o tatuador Edu Tatoo e a fotógrafa Fernanda Chemale professora do curso de espetáculo da Câmera Viajante. A Direção é de Rogério Ferrari professor do curso de roteiro da escola.

perdeu a estreia? confere os vídeos aqui http://www.urbanautas.net/

 

Imagem

 

Imagem

 

Fotos Felipe Nyland

 

Direção: R. Brasil Ferrari
Música: Marcelo Fornasier
Produção: Vera Munhoz e Suzana Oliveira
Realização: EnygmaFilmesBRAZIL
Patrocínio: FAC/ProculturaRS – Sedac/RS

 

Canela Foto Workshops pela aluna Carla Zanatta

Este é um depoimento, com algumas imagens ilustrativas, da aluna Carla Zanatta que participou do Canela Foto Workshops 2013.
“Foi importante participar do Canela Foto Workshops/2013, pois conheci fotógrafos de todo Brasil. Conhecer o trabalho deles me proporcionou descobrir novos horizontes da fotografia. Percebi que o caminho para um bom profissional da fotografia não é um caminho fácil, exige trabalho, esforço, disciplina, respeito e às vezes renúncias. Vale a pena e todos nós podemos chegar lá. Um exemplo disso é o trabalho de Rui Faquini ,em conjunto com sua mulher,com as mulheres Caiapós. Rui foi até certo ponto na aldeia com seu trabalho fotográfico, e quando não pode mais chamou sua mulher, também fotógrafa, para ir mais adiante por ser mulher e assim obter mais confiança das mulheres Caiapós. Em dado momento surgiu a ideia de entregar as índias máquinas fotografias para elas registrarem seu cotidiano. A cada dois ou três meses eles voltam para coletar as imagens, que por enquanto não possuem direito de divulgação. Rodrigo Baleia, que trabalha para National Geografic,aborda problemas ambientais da Amazônia com fotos áreas de denúncia, ousadas e criativas. Al Hamdan, fotógrafo publicitário do Rio de Janeiro, faz campanhas para marcas famosas, mostrando muita criatividade e arte na suas fotos. Todos os palestrantes mostraram seus trabalhos trocando experiências com os demais participantes, num clima cordial e de bom humor. Ao término, foi empossado o novo presidente do Instituto de Fotografia e Artes Visuais de Canela, Eduardo Bueno, o “Peninha”. O próximo encontro para 2014 ficou marcado para 30, 31 de janeiro e 1 e 2 fevereiro. Reservem suas agendas!”

A Primeira Dama, fotógrafa Sandra Genro
A Primeira Dama, fotógrafa Sandra Genro

Peninha e ao fundo Leopoldo Plentz
Peninha e ao fundo Leopoldo Plentz

Ana Magalhães
Ana Magalhães

Palestras
Palestras

Cláudio Edinger e Peninha
Cláudio Edinger e Peninha

ESCAMBO FOTOGRÁFICO DE NATAL

Toda parede que se preze necessita de uma bela imagem. Por isso, para alegrar os amigos, parentes ou as paredes de sua casa, estamos promovendo o 1º Escambo Fotográfico de Natal. 

Para alegrar e diversificar o olhar, curtir belas imagens, integrar e conhecer pessoas, convidamos os alunos, ex alunos e Viajantes da Câmera para esse troca troca.

Tamanho de foto: fica a seu critério, pode estar com ou sem paspatur. Mas sem moldura.

Onde serão colocadas: em varal. 

Se chover utilizaremos a parte interna da casa que tem tamanho suficiente para receber os interessados.

Data: 15 de dezembro – sábado

Horário: a partir das 14h

Local: aqui na Câmera Viajante – Escola de Fotografia e Cinema.

Será um sábado especial com belas imagens.

As paredes agradecem!

Imagem